Sério, todos os melhores novos modelos estão relacionados

A boa aparência geralmente ocorre em famílias, mas para o clã Smith, parece que o mesmo ocorre com o sucesso da indústria de modelagem. Com Lucky Blue subindo na hierarquia para se tornar o modelo masculino du jour em 2015 e a Pyper America exibindo seu apelo nas passarelas para nomes como Moschino e Giorgio Armani, os Smiths parecem estar em uma séria aquisição da indústria. Mas espere! Há mais deles! A irmã mais velha de Lucky Blue, Daisy Clementine, está em cena, depois de aprimorar suas habilidades de modelo em Los Angeles, onde ela assinou com a Next Los Angeles em 2013. O contrato serviu não apenas para dar o pontapé inicial em sua carreira, mas também para seus irmãos. carreiras - eles fizeram uma visita à agência dela durante uma viagem familiar.

Como seus famosos irmãos e irmãs antes dela, Daisy é loira, musicalmente inclinada, seriamente fotogênica e, sim, pronta para enfrentar o mundo da moda. Conheça-a aqui primeiro.

2015 foi um grande ano para sua família; como isso impactou você?
Acho que aprendi muito sobre mim e sobre as coisas que gosto de fazer. Sempre quis ser modelo e continuar a tocar em uma banda com meus irmãos e irmãs, mas não conhecia os meandros disso. Este ano pude compreender o dia-a-dia de ser modelo e o que é preciso para ter sucesso.

Conte-me sobre sua banda, o Atomics.
Modelar é criativo e há certas coisas sobre as quais você tem controle, mas às vezes você está apenas tentando ajudar a dar vida à visão de outra pessoa. Música é mais eu propondo o que quero fazer em relação ao som ou às letras. Posso expressar a criatividade pessoal enquanto ainda trabalho com minha família. É a maior emoção estar no palco se apresentando em um show, e eu sinto muito amor por eles quando estamos tocando juntos. É uma boa saída porque é algo sobre o qual tenho mais controle, mas também é com meus melhores amigos. Eu sou obcecado por oldies; Eu também ouço muito Tom Petty. Quando se trata de coisas novas, eu gosto de Black Keys e, ultimamente, também estive em Leon Bridges. Eu toco violão, então gosto de ouvir o que toco. Eu gosto de música baseada em guitarra ou algo com uma linha de baixo forte ou bateria poderosa.

Daisy Clementine Smith

Daisy Clementine Smith

Foto: Cortesia de Daisy Clementine Smith / @daisyclementine



Como é fazer parte de uma família cheia de modelos?
Percebi que não sabia muito sobre moda! Eu sabia do que gostava e fui bastante decidido sobre isso, mas desde que comecei a modelar, aprendi sobre os designers, os fotógrafos, as pessoas nos bastidores. Eu tive uma educação em moda, especialmente desde que voltei para Nova York. Eu amo isso; minha mãe também era modelo! É tão revigorante poder falar sobre coisas e fazer [meus irmãos] entenderem. Existem muitos estigmas e lendas urbanas sobre a modelagem, e às vezes as pessoas não entendem o que é estar na indústria. É bom ter um sistema de apoio à família. Eu sinto que posso dizer a eles qualquer coisa e eles sempre estarão lá para mim. Além disso, adoro fazer sessões de fotos com eles - é a coisa mais divertida de todas!

Como tem sido ver toda a atenção que seu irmão Lucky Blue recebeu este ano?
É meio estranho porque ele é apenas meu irmão punk; Eu sei o que ele gosta de comer no café da manhã e sei as coisas irritantes que ele faz. No entanto, foi divertido observar, já que ele é tão humilde e realmente se preocupa com seus fãs. Às vezes é bom apenas assisti-lo com eles e ver como ele cresceu e se tornou esse cara legal - eu entendo porque todos estão obcecados por ele! O bom é que ele não mudou muito; ele ainda quer sair com os amigos e andar de skate.

Você tem algum objetivo para a sua carreira no futuro?
A resposta é tudo! Eu quero fazer tudo; Quero aprender muito com esta cidade - existem tantas oportunidades incríveis. No geral, quero apenas crescer como pessoa. Eu quero ser um modelo completo; Eu quero ser capaz de fazer editoriais fortes e coisas mais peculiares, mas também me sentir confortável com fotos de moda praia mais sexy. Claro, eu gostaria de fazer pista; Eu não fiz isso ainda, mas é algo que eu adoraria fazer parte e experimentar.