Boa microcirculação de sangue, sua passagem por mais tempo

Uma boa microcirculação é o que faz com que os corredores de maratona tenham um desempenho melhor com a mesma frequência cardíaca do que a média dos homens ou mulheres nas ruas.

genes, dieta, microcirculação, sangue, fluxo sanguíneo, notícias, saúde, últimas, últimas notícias, notícias mundiais, notícias internacionaisA microcirculação descreve o fluxo sanguíneo através dos menores vasos (capilares) do sistema circulatório.

Não são apenas os genes, a dieta ou a atividade física que decidem quanto tempo você viverá. Uma boa microcirculação de sangue no corpo é outro fator chave em centenários que vivem saudáveis ​​e por muito tempo, revelam pesquisadores. Em um estudo piloto com algumas das pessoas mais velhas do mundo, pesquisadores italianos da Universidade La Sapienza, em Roma, descobriram que a perfusão de órgãos e músculos dos centenários era tão eficiente quanto a de pessoas 30 anos mais jovens.

A microcirculação descreve o fluxo sanguíneo através dos menores vasos (capilares) do sistema circulatório. Nessas regiões, o oxigênio e os nutrientes são entregues diretamente às células, enquanto os resíduos metabólicos, as toxinas e o CO2 são desviados. Os resultados do estudo piloto CIAO (Cilento Intitiative on Aging Outcome) sugerem que os baixos níveis sanguíneos do hormônio peptídeo adrenomedulina (bio-ADM) são um indicador de uma microcirculação tão boa.



Concentrações muito baixas deste biomarcador indicam um bom funcionamento do sistema endotelial e microcirculatório, permitindo uma boa perfusão sanguínea de órgãos e músculos, disse o pesquisador principal, o professor Salvatore Di Somma.



O estudo mediu os níveis do biomarcador de função cardíaca MR-proANP, bem como um marcador de função renal (penKid) e bio-ADM. Uma boa microcirculação é o que faz com que os corredores de maratona tenham um desempenho melhor com a mesma frequência cardíaca do que a média dos homens ou mulheres nas ruas. A equipe realizou avaliações abrangentes de saúde e estilo de vida de dois grupos de estudo que vivem na região de Cilento, localizada na província de Salerno, no sul da Itália.

No primeiro grupo estavam 29 SuperAgers (idade mediana de 92 anos), enquanto o segundo grupo era composto por 52 parentes mais jovens (idade mediana de 60 anos, morando na mesma casa) que se espera que vivam tanto tempo porque têm o mesmo fundo genético e foram expostos aos mesmos fatores ambientais e de estilo de vida. As análises de biomarcadores sanguíneos foram realizadas pela empresa de diagnóstico sphingotec de Hennigsdorf, Alemanha.



Estamos entusiasmados com a conexão entre os níveis de bio-ADM e uma boa microcirculação como um indicador de boa qualidade de vida, acrescentou o fundador da sphingotec, Andreas Bergmann.

Se o bio-ADM provar ser um biomarcador confiável para a longevidade, isso abrirá o caminho para uma análise sistemática dos fatores que contribuem para a longevidade, acrescentou ele nas descobertas apresentadas na cidade italiana de Pollica na segunda-feira. Os pesquisadores estão atualmente planejando estender o estudo piloto a 2.000 pessoas da região de Cilento.

Tornar a longevidade mensurável sempre foi uma meta científica, pois poderia abrir o caminho para uma identificação sistemática dos fatores que contribuem para uma vida prolongada, observaram os autores.



O artigo acima é apenas para fins informativos e não se destina a substituir o conselho médico profissional. Sempre procure a orientação de seu médico ou outro profissional de saúde qualificado para qualquer dúvida que possa ter sobre sua saúde ou condição médica.