Por que os muçulmanos sacrificam animais no Eid-al-Adha ou Baqreid

Eid-al-Adha não é derramamento de sangue para agradar a Deus. É sobre desistir de algo que você estima em devoção a Deus. Também é obrigatório compartilhar a carne do animal sacrificado.

Por que os muçulmanos sacrificam animais no Eid-al-Adha, no Baqreid ou no Eidul Adha Mubarak?Desde a época do profeta Maomé, os muçulmanos sacrificaram animais (qurbaani) no dia para honrar o espírito de sacrifício de Ibrahim. (Arquivo)

Milhões de muçulmanos em todo o mundo começaram a celebrar o Eid-al-Adha, Baqreid ou Id-ul-Zuha de três dias. Um dos festivais mais importantes do Islã, o Eid-al-Adha acontece após o final do Haj, a peregrinação anual a Meca, e comemora a disposição do Profeta Ibrahim de desistir de seu amado filho sob o comando de Allah.

Desde a época do profeta Maomé, os muçulmanos sacrificaram animais (qurbaani) no dia para honrar o espírito de sacrifício de Ibrahim.



LEIA TAMBÉM: Eid al-Adha 2019: História, Importância e Significado de Bakrid e por que comemoramos



Eid-al-Adha, entretanto, não é derramamento de sangue para agradar a Deus. É sobre desistir de algo que você ama em devoção a Deus. Também é obrigatório compartilhar a carne do animal sacrificado, em três partes iguais - para você, para a família e amigos e para os pobres.

o festival tem uma mensagem clara de piedade, caridade e igualdade. O Alcorão declara: Sua carne não alcançará Alá, nem seu sangue, mas o que O alcança é a piedade de você. (22:37).



A história

como é uma toranja?

É relatado no Alcorão que Allah apareceu ao Profeta Ibrahim em um sonho e ordenou-lhe que sacrificasse seu bem mais caro como um ato de obediência e submissão. O pai vendou os olhos do filho, Ismail, que prontamente concordou com o sacrifício, e cortou sua garganta. No entanto, quando Ibrahim abriu os olhos, viu que Ismail estava vivo e um animal foi morto em seu lugar.

Uma versão da história também é encontrada no Antigo Testamento e na Torá.



Muitos muçulmanos compram animais, criam-nos com amor e depois os oferecem a Deus, para sentir a dor do profeta Ibrahim.

LEIA TAMBÉM: Eid al-Adha: Aproveite a ocasião especial com essas deliciosas receitas

O Islã, no entanto, reconhece que não é possível para todo muçulmano criar um animal sozinho. Essas pessoas podem capacitar outros para realizar o sacrifício em seu nome e pagar por isso.



Compartilhando, não piedade

O sacrifício no Eid-al-Adha é obrigatório no Islã apenas para aqueles que podem pagar. Eles têm que dar um terço da carne aos pobres e necessitados. O festival garante que mesmo aqueles que não podem comprar carne tenham bastante carne pelo menos uma vez por ano. Em Meca, a carne dos animais abatidos pelos Haajis é distribuída também para países do terceiro mundo.
Na verdade, a caridade é claramente codificada no Islã - um terço da carne durante o Eid-Al-Adha e uma parte de seus ganhos como zakat nos outros dias.

Porque a partilha é obrigatória na religião, os pobres podem aceitá-la com dignidade. Não há nada de degradante em aceitar a carne (ou o dinheiro como zakat) porque quem a está pegando está apenas ajudando o doador a cumprir suas obrigações para com Deus.



As críticas injustificadas ao festival

O sacrifício de animais durante o EId-al-Adha tem sido questionado com frequência, ainda mais nos últimos tempos. O festival nos lembra que, embora matemos animais para comer, é apenas para satisfazer as necessidades humanas mais básicas e nunca é um ato libertino de violência.

quais são os diferentes tipos de plantas

Comer carne não é exclusivo dos muçulmanos e é comum em todo o mundo. O vegetarianismo é uma escolha, não um marcador de moralidade. Em muitos países, o solo e o clima são tais que é impossível sobreviver sem carne. Além disso, a carne é uma fonte de nutrição muito mais barata e nem todos podem pagar por alternativas vegetarianas.

LEIA TAMBÉM: Eid-al-Adha Mubarak 2019: Bakrid deseja imagens, mensagens, SMS, citações, status, fotos para Whatsapp e Facebook

O sacrifício de animais também não é exclusivo do Islã. No hinduísmo, o sacrifício de animais é um ritual essencial na adoração de muitas divindades - Kali, Bhairav ​​- e para muitos propósitos - para agradar, propiciar, apaziguar.

No entanto, questões sobre a moralidade do consumo de carne vêm à tona com vigor renovado durante o Eid-al-Adha. Não se pode pedir desculpas por comer carne, e quando o fardo da culpa é colocado mais sobre uma comunidade do que sobre outras - especialmente na Índia - fica claro que a motivação não é o amor pelos animais.

Este Eid-al-Adha, que todos nós aprendamos a sacrificar e compartilhar. Feliz Eid-al-Adha para todos.