A vitamina B12 pode proteger contra a doença de Alzheimer

A vitamina B12 pode reduzir o risco da doença de Alzheimer, mostra um novo estudo.

A vitamina B12 pode reduzir o risco da doença de Alzheimer, mostra um novo estudo.

A pesquisa adiciona mais evidências ao debate científico sobre se a vitamina é eficaz na redução do risco de perda de memória.



lagarta verde com chifre vermelho na cauda

Nossos resultados mostram a necessidade de mais pesquisas sobre o papel da vitamina B12 como um marcador para identificar pessoas que estão em maior risco de desenvolver a doença de Alzheimer, disse o autor do estudo Babak Hooshmand, do Karolinska Institutet em Estocolmo, Suécia.



Os baixos níveis de vitamina B12 são surpreendentemente comuns em idosos. No entanto, os poucos estudos que investigaram a utilidade dos suplementos de vitamina B12 para reduzir o risco de perda de memória tiveram resultados mistos.

Para o estudo de sete anos, os pesquisadores coletaram amostras de sangue de 271 finlandeses com idades entre 65 e 79 anos que não tinham demência no início do estudo. Durante esse tempo, 17 pessoas desenvolveram a doença de Alzheimer.



Amostras de sangue foram testadas para os níveis de homocisteína, um aminoácido associado à vitamina B12, e para os níveis da porção ativa da vitamina, chamada holotranscobalamina.

O excesso de homocisteína no sangue tem sido associado a efeitos negativos no cérebro, como derrame. No entanto, níveis mais elevados de vitamina B12 podem reduzir a homocisteína.

O estudo descobriu que para cada aumento micromolar na concentração de homocisteína, o risco de doença de Alzheimer aumentou em 16 por cento, enquanto cada aumento picomolar na concentração da forma ativa da vitamina B12 reduziu o risco em 2 por cento.



arbustos de espinhos com bagas vermelhas

Os resultados permaneceram os mesmos após levar em consideração outros fatores, como idade, sexo, educação, tabagismo, pressão arterial e índice de massa corporal. A adição de folato não pareceu aumentar ou diminuir o risco de doença de Alzheimer.

Mais pesquisas são necessárias para confirmar essas descobertas antes que a vitamina B12 seja usada apenas como um suplemento para ajudar a proteger a memória, disse Hooshmand.

A pesquisa foi publicada na edição de 19 de outubro de 2010 da Neurology, a revista médica da American Academy of Neurology.



O artigo acima é apenas para fins informativos e não se destina a substituir o conselho médico profissional. Sempre procure a orientação de seu médico ou outro profissional de saúde qualificado para qualquer dúvida que possa ter sobre sua saúde ou condição médica.