Mortes por gripe suína aumentam na América do Sul

O número de mortes causadas pela gripe suína continuou a aumentar em toda a América Central e do Sul, com o Panamá relatando sua primeira fatalidade.

O número de mortes causadas pela gripe suína continuou a aumentar em toda a América Central e do Sul, com o Panamá relatando sua primeira fatalidade do vírus A (H1N1) - um bebê de nove meses.

O Ministério da Saúde do Panamá disse em um comunicado que a criança morreu na noite de domingo em um hospital infantil na capital devido a complicações respiratórias.



flor roxa com centro amarelo

Até o momento, as autoridades do Panamá confirmaram 541 casos de gripe suína no país, a maioria deles na área ao redor da Cidade do Panamá.



Enquanto isso, em El Salvador, as autoridades relataram a sexta fatalidade relacionada ao A (H1N1) no país.

O Ministério da Educação do país, onde foram registrados 467 casos de infecção, ordenou que as aulas fossem suspensas por 12 dias em quatro distritos do leste do país, onde o vírus é mais afetado.



aranha com listra preta nas costas

Na Bolívia, o número de mortes causadas pela gripe suína aumentou em duas a cinco mortes, disseram as autoridades. Até o momento, cerca de 700 pessoas no país foram infectadas com o vírus, segundo o Ministério da Saúde da Bolívia.

O Ministério da Saúde do Paraguai aumentou ontem o número de mortos para 10 e disse ter confirmado 175 casos de infecção pela doença. No México, onde a pandemia foi detectada pela primeira vez, o ministério da saúde relatou três novas fatalidades, elevando o número de mortos para 128 e o número de infecções para 14.229.

O artigo acima é apenas para fins informativos e não se destina a substituir o conselho médico profissional. Sempre procure a orientação de seu médico ou outro profissional de saúde qualificado para qualquer dúvida que possa ter sobre sua saúde ou condição médica.