Dicas para os pais: como lidar com uma criança com TDAH

Evite ser excessivamente crítico com seu filho. Isso só vai piorar as coisas.

Apenas a crítica constante dos pais está associada à continuação dos sintomas de TDAH. (Foto: Thinkstock)Apenas a crítica constante dos pais está associada à continuação dos sintomas de TDAH. (Foto: Thinkstock)

Normalmente, crianças com sintomas de transtorno de déficit de atenção e hiperatividade (TDAH), um transtorno comportamental comum em crianças, como falta de concentração, hiperatividade e dificuldades de aprendizagem, tendem a melhorar com a idade.

No entanto, o transtorno não melhora em algumas crianças e um dos motivos pode ser a persistente crítica dos pais, revela uma nova pesquisa.



Crianças com TDAH cujas famílias continuaram a expressar altos níveis de crítica ao longo do tempo não experimentaram o declínio normal dos sintomas com a idade e, em vez disso, mantiveram níveis elevados e persistentes de sintomas de TDAH, disse Erica Musser, professora assistente da Florida International University, nos Estados Unidos.



Os pesquisadores estudaram uma amostra de 388 crianças com TDAH e 127 sem, assim como suas famílias, ao longo de três anos. Das crianças com TDAH, 69 por cento eram do sexo masculino, 79 por cento eram brancas e 75 por cento vinham de famílias com dois pais.

Eles mediram as mudanças nos sintomas de TDAH durante esse período e mediram os níveis de crítica e envolvimento emocional dos pais.



Os pais foram convidados a falar sobre seu relacionamento com o filho sem interrupções. E foram avaliados por especialistas quanto aos níveis de crítica - declarações duras e negativas sobre a criança, em vez do comportamento da criança - e superenvolvimento emocional - sentimentos de superproteção em relação à criança, mostrou o estudo, publicado no Journal of Abnormal Psychology.

Apenas a crítica constante dos pais (níveis elevados em ambas as medições, não apenas em uma) foi associada à continuação dos sintomas de TDAH nas crianças que foram diagnosticadas com TDAH, concluiu o estudo.