O papel ainda prevalece sobre os e-books, de acordo com novo estudo

Cerca de 65 por cento dos entrevistados leram uma brochura ou capa dura no ano passado, em comparação com 28 por cento que leram um e-book, diz o estudo.

brochuras versus e-books, livros reais ainda populares, e-books declinam em popularidade, os leitores preferem livros reais a e-booksAs pessoas ainda gostam da sensação de ler um livro tangível. (Fonte: Pixabay)

Os leitores adultos nos EUA ainda preferem o papel aos e-books, de acordo com um novo estudo do Pew Research Center.

Cerca de 65 por cento dos entrevistados leram uma brochura ou capa dura no ano passado, em comparação com 28 por cento que leram um e-book, informou a Pew na quinta-feira. Cerca de 40 por cento lêem apenas livros impressos, enquanto apenas 6 por cento preferem exclusivamente os e-books. Quatorze por cento disseram que ouviram um livro de áudio.



Em uma era de tecnologia da informação em que tudo está sendo digitalizado, quase a ponto de criar uma revolução digital, o estudo surpreende, pois indica uma forte preferência pela velha forma de leitura. Também traz esperança para as livrarias de varejo, para cujo futuro muitos fizeram previsões sombrias devido ao ataque violento de e-books e da pirataria. O estudo mostra que as pessoas ainda gostam da sensação de ler um livro tangível e também é um bom presságio para as bibliotecas, que podem ter apreendido um declínio no número de associados, considerando a fácil disponibilidade e acessibilidade dos e-books.



As vendas de e-books aumentaram depois que a Amazon.com lançou seu dispositivo Kindle em 2007. Mas elas começaram a se estabilizar há alguns anos e até mesmo caíram para algumas grandes editoras.

No geral, 73% dos americanos com 18 anos ou mais leram um livro no ano passado, um ponto percentual acima de 2015, mas abaixo dos 79% registrados em 2011.