A cultura, não os genes, molda nosso gosto musical

Por décadas, os neurocientistas têm se perguntado se a preferência musical está de alguma forma programada em nossos cérebros.

música 759O gosto musical difere cultura para cultura. (Arquivo)

Você pode querer culpar sua cultura se seu gosto musical for estranho, sugere um novo estudo.

Nos estilos de música ocidentais, do clássico ao pop, algumas combinações de notas são geralmente consideradas mais agradáveis ​​do que outras. Para a maioria de nossos ouvidos, um acorde de dó e sol, por exemplo, soa muito mais agradável do que a combinação áspera de dó e fá sustenido, que historicamente é conhecida como o diabo na música.



aranha listrada preta e castanha

Por décadas, os neurocientistas têm se perguntado se essa preferência está de alguma forma programada em nossos cérebros. Um novo estudo do MIT e da Brandeis University sugere que a resposta é não.



Em um estudo com mais de 100 pessoas pertencentes a uma remota tribo amazônica com pouca ou nenhuma exposição à música ocidental, os pesquisadores descobriram que acordes dissonantes, como a combinação de dó e fá sustenido, foram avaliados tão agradáveis ​​quanto acordes consonantais, que apresentam relações inteiras entre as frequências acústicas das duas notas.

manchas brancas difusas nas plantas

Este estudo sugere que as preferências por consonância em vez de dissonância dependem da exposição à cultura musical ocidental, e que a preferência não é inata, disse o pesquisador Josh McDermott, do MIT.



O estudo foi publicado na Nature.